Departamento de Biologia

Carlos Sinogas

VIROLOGIA

2018/2019

PÁGINA PRINCIPAL

SUMÁRIOS

AVALIAÇÃO FINAL

 

INTRODUÇÃO

O estudo dos vírus constitui, desde há alguns tempos a esta parte, a mais significativa base da maior parte do aumento do moderno conhecimento científico nas áreas da Biologia, em que se incluem em geral a Biologia Molecular e a Genética e em particular as aplicações das Ciências da Vida.

Os vírus são, ainda, as mais pequenas entidades biológicas a que se pode atribuir um "plano de vida". São pouco mais que material genético que consegue preservar-se quase sempre iludindo as estratégias defensivas dos hospedeiros que usam para se propagar. A importância científica do seu estudo reside em dois pontos principais: no aumento do conhecimento da forma como utilizam os recursos energéticos das células que utilizam como hospedeiros e no esclarecimento de muitos dos mecanismos biológicos dos hospedeiros que utilizam ou têm de contornar para se poderem preservar como entidades biológicas autónomas. As modernas biotecnologias incluem em grande medida o uso de agentes virais, seja diretamente e como tal ou o seu material genético isolado, seja tirando partido dos conhecimentos que o seu estudo tem permitido, em especial das suas estratégias moleculares de sobrevivência.

Além de um interesse científico óbvio, as doenças causadas por vírus contribuem de forma significativa para a morbilidade e mortalidade de muitas espécies vivas, com particular realce para o seu impacto em muitas das atividades económicas e industrializadas da sociedade atual.

 

OBJECTIVOS PROGRAMÁTICOS

É objetivo primeiro do ensino da disciplina de Virologia, sensibilizar os estudantes das áreas Biológicas para os conceitos básicos envolvidos na biologia molecular destes organismos sub-microscópicos, de forma a dotar os futuros licenciados de ferramentas que lhes permitam compreender algumas das questões práticas e mediáticas com que são quase diariamente confrontados. Referenciem-se, como exemplos, os problemas relacionados com a SIDA ou a febre aftosa, as Pestes Sunas e Equinas, a transgénese de plantas por infeções de vírus recombinantes ou as BSE e vCJD.

No âmbito do ensino teórico, pretende-se promover a discussão das bases biológicas e moleculares que permitem compreender o funcionamento e justificar a existência de vírus, abordando aspetos fundamentais da taxonomia e da sistemática dos agentes virais, com referência específica e nominal aos vírus mais significativos.

Com a abordagem das tecnologias de manipulação laboratorial de vírus de procariotas pretende-se fornecer aos estudantes as ferramentas e procedimentos práticos genericamente aplicáveis a estas "entidades vivas" não visualizáveis, pelo uso de material biológico de baixo risco de contaminação para o operador e para o ambiente.

 

Docente responsável

Carlos Sinogas

 

CALENDÁRIO

Teóricas (sala 206 / Anf. 008 – NM)

                Quarta-feira – 16:00

Práticas (Lab. Microbiologia – NM)

                Quarta-feira – 14:00 (BIO)

                Quinta-feira – 16:00 (BIO)

                Sexta-feira – 11:00 (BH, BT)

                Sexta-feira – 16:00 (BH, BT)

 

AVALIAÇÃO

Critérios

Teórica (60%) - Provas escritas (avaliação contínua - 2 frequências ou exame final)

Prática (15%) - Relatório do trabalho final laboratorial

Trabalho inventivo (15%) – Proposta a apresentar publicamente, em poster

Assiduidade às sessões teóricas e práticas (10%)

 

Todas as componentes requerem avaliação positiva.

DATAS DOS Atos de avaliação

Ato de avaliação

Data

Hora

Sala

1. Frequência

2/5

20:30

Verney, Anf. 2

 

Entrega dos Relatórios Práticos
Apresentação dos posters

18/6

10:00 – 18:00

Verney, Átrio Anf. 1

 

2. Frequência

Exame final

18/6

15:00

Verney, Sala 130

 

Exame de recurso

2/7

11:00

Verney, Anf.3, Anf. 4

 

 

PROGRAMA TEÓRICO

Introdução

Virologia Geral e Molecular

a.      Conceito de vírus e partícula viral

b.     Genomas virais (DNA, RNA)

c.      Proteínas estruturais e não estruturais

d.     O envelope lipídico

e.      Estratégias de replicação. Regulação da expressão genética

Classificação e sistemática

f.       Princípios taxonómicos

g.      Principais famílias de vírus

Infeção viral e agentes infeciosos

h.     Vírus de animais

i.       Vírus de procariotas

j.       Vírus de plantas

k.      Agentes patogénicos subvirais

l.       Relação vírus / célula (hospedeiro)

Imunologia das infeções virais

m.    Resposta imune natural (interferes)

n.     Estratégias de escape dos vírus

o.     Resposta imune adaptativa. Memória imunológica

Epidemiologia das infeções virais

p.     Patogénese e transmissão das infeções virais

q.     Vírus e cancro

r.      Modelos de propagação. Reservatórios virais

Tratamento e prevenção de viroses

s.      Imunoterapia

t.      Drogas antivirais

u.     Vacinação antiviral

Métodos de diagnóstico

v.      Deteção imunológica

w.     Deteção de marcadores virais

x.      Técnicas de amplificação genética

Aplicações tecnológicas de vírus

y.      Terapia genética

z.      Clonagem molecular

aa.   Transgénese

Avaliação e conclusões

 

PROGRAMA PRÁTICO

Data

Trabalho

20/Fev

 

27/Fev

Introdução às práticas laboratoriais

Pipetagens, soluções e diluições. Calibração de pipetas

6/Mar

 

13/Mar

Curva de crescimento bacteriano (técnica 2)

Revelação de vírus vegetal

20/Mar

Preparação de suspensão viral de alto título

27/Mar

Isolamento de placa viral

3/Abr

Titulação de suspensão de bacteriófagos:

- formação de placas

10/Abr

Titulação de suspensão de bacteriófagos:

- diluição limite

1, 9, 16, 23/Mai

TRABALHO AUTÓNOMO (curva de crescimento viral)

 

Bibliografia

·       Flint S.J., Racaniello V.R., Rall G.F., Skalka A.M., Enquist L.W. (2015). Principles of Virology, Volume 1: Molecular Biology 4th ed. ASM Press, Washington, USA (ISBN 9781555819330)

·       Flint S.J., Racaniello V.R., Rall G.F., Skalka A.M., Enquist L.W. (2015). Principles of Virology, Volume 2: Pathogenesis and Control, 4th ed. ASM Press, Washington, USA (ISBN 9781555819347)

·       Roossinck M. J (2016). Virus. Na illustrated guide to 101 incredible microbes. Ivy Press, UK (ISBN 9781782403265)

·       Carter J.B., Saunders V.A. (2013). Virology: Principles and Applications, 2nd ed. John Wiley & Sons, UK (ISBN 9781119991434)

·       Knipe, D. M, Howley P. M. (2013). FIELDS VIROLOGY, 6th ed., Vol 1 & 2, Lippincott Williams and Wilkins, Philadelphia, USA (ISBN 9781451105636)

·       Loeffelholz M., Hodinka R., Young S., Pinsky B. (2016). Clinical Virology Manual, 5th ed. ASM Press, Washington, USA (ISBN 9781555819149)

·       Ferreira W.F.C., Sousa J.C.F. (2002). Microbiologia, volume 3. Lidel, Lisboa. (ISBN 9727571360)

 

·       Sinogas C. (2017/2018). Virologia. Manual de Apoio às Sessões Laboratoriais (PDF Online)

 

·       Regush, N. (2001). The Virus Within. A Coming Epidemic. Vision Paperbacks, London, UK (ISBN 1901250563)

·       Mims C. (2000). The War Within Us. Academic Press, San Diego, USA. (ISBN 0124982514)

·       Crawford, D.H. (2000). The Invisible Enemy. A Natural History of Viruses. Oxford University Press, Oxford, UK (ISBN 0198503326)

 

PÁGINA PRINCIPAL

SUMÁRIOS

AVALIAÇÃO